O Gaúcho

Há muitas especulações sobre a origem da palavra GAÚCHO, mas infelizmente ninguém a decifrou definitivamente, continua o mistério. Porêm, ser GAÚCHO, todos os pesquisadores que se interessaram pelo tema concordam, não é uma raça, é uma estirpe a partir de uma atividade sócio-econômica com características próprias, um ser miscigenado, remanescentes de tribos guerreiras que habitavam a Argentina, o Uruguai e o Brasil no Rio Grande do Sul, nômades, hábeis cavaleiros, extremamente valentes, desprendidos de tudo, inclusive da vida, valorosos, leais, hospitaleiros, ocupados ora com a lida pastoril, ora com a vida militar em postos que iam do soldado raso a general. No entanto, somam-se nessa resultante biológica todas as demais etnias que acamparam no cone sul americano nos dois séculos, formando gaúcho de agora que atavicamente apresenta comportamento psicologico desde a vocação agrícola do tape, a agressividade do charrua e do minuano, a paz espiritual do guarani, ao aventurismo bandeirante.

O primeiro registro da palavra GAÚCHO em português foi em 1787, escrita no livro do Dr.José de Saldanha, o que prova sua existência muito antes, pois a denominação de um padrão cultural leva anos a se formar. Em 1536 foi introduzido o CAVALO de hoje na América do Sul, espalhando-se a partir de 1580, tornando-se o pampa seu melhor abrigo. Coincidência ou não, foi nessa época que surgiu o gaúcho primitivo chamado de moços perdidos de Buenos Aires, logo changueadores, gaudérios, avessosa urbanidade, de culto à liberdade, refratários à lei dos homens e a qualquer modo de vida que não fosse nas imensidões dos campos, onde desenvolveram grande habilidade de domar cavalos e lidar com gado.

Assim podemos dizer que o CAVALO e o GADO vieram primeiro que o gaúcho e que se esses não existissem, os homens do pampa seriam qualquer coisa menos gaúchos. A miscigenação do europeu com o índio, fundindo a cultura ibérica com a sul-americana, fez chegar até nossos dias, além do ser, o churrasco, o chimarrão, a música, os payadores, a poesia gaúcha culta e rica, tanto que ligado ou não à vida do campo temos gente compondo e fazendo poesia ou a lembrar da vida do gaúcho passado a suas bravatas.

Fonte: Agenda Gaúcha – 2009.

Sobre harasrs

Localização: Estamos localizado na Rua Venâncio dos Santos, 945 em Glorinha/RS, atuamos no segmento de eqüinocultura, dedicando-se a criação de eqüinos da raça Quarto de Milha “o cavalo mais versátil do mundo”. Negócio e Estrutura: Encontra-se a possibilidade de adquirir coberturas e animais de excelente qualidade. Com a estrutura apropriada, oferecemos para todas as raças a atividade de hotelaria e treinamento.
Esta entrada foi publicada em O Gaúcho. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s